Covid-19: Guedes promete reduzir impostos da folha de pagamento após crise

O ministro da Economia, Paulo Guedes, prometeu reduzir impostos, sobretudo os que pesam sobre a folha de pagamento das empresas, depois da pandemia do novo coronavírus. A promessa foi feita em uma conferência com entidades do setor empresarial, promovida pela União Nacional de Entidades do Comércio e Serviços (Unecs), neste sábado (04/04).

"Os [fundos] tributários vão ser a chave da retomada do crescimento. Vamos retomar a economia e criar milhares de empregos atacando o mais cruel e excludente dos impostos brasileiros, que é o imposto sobre emprego", afirmou Guedes, quando discutia com os empresários o que é possível fazer para enfrentar esse momento de crise e, depois disso, retomar a atividade econômica brasileira.

"A saída lá na frente vai passar por redução dos impostos, principalmente os mais disfuncionais. Agora estamos atacando o capital de giro, a manutenção do emprego. E mais na frente vamos atacar esse tema. Criar emprego tem que ser algo fácil, barato e estimulante", acrescentou Guedes, admitindo que "os encargos sobre a folha são excessivos. "São absurdos. Deixam 40 milhões de brasileiros fora do mercado formal. E, se não tem emprego, não contribui com a Previdência, ajuda a criar uma bomba-relógio na Previdência", afirmou o ministro da Economia.

Os empresários que participaram da conferência aprovaram a ideia. Afinal, o setor produtivo calcula que a folha de pagamento representa 45% do custo de uma empresa, já que em muitos casos, como o próprio Guedes afirmou na live, os impostos cobrados sobre cada trabalhador custam quase o mesmo valor que o salário desses trabalhadores. "Espetacular", disse o presidente da Unecs, George Pinheiro.

O setor produtivo, contudo, também pediu o reforço das medidas emergenciais que podem ajudar as empresas a enfrentar esse momento de crise e de lojas fechadas. Guedes prometeu, então, aprofundar o pacote de enfrentamento econômico ao Covid-19, sobretudo com novos estímulos ao crédito.

O ministro da Economia ainda disse que o governo vai incentivar os investimentos para poder pavimentar o caminho da retomada econômica. "Vamos destravar os investimentos nos próximos meses. A retomada vai ser com investimento em saneamento, cabotagem, educação, saúde. E também geração de emprego, derrubando encargos trabalhistas que são armas de destruição em massa. Os impostos são absurdos, os encargos sao excessivos, são destruidores do emprego", disse Guedes, voltando a falar sobre a redução dos impostos.

Fonte: CB Economia